Make your own free website on Tripod.com

 

Introíbo

Caros irmãos, com a finalidade de vos levar o conhecimento e a elevação moral dada pelos Mestres que nos antecederam, o que é a finalidade das nossas páginas, não poderíamos deixar de inserir o discurso de abertura proferido pelo Ve.Mestre Yokaanam, na Fundação da Fraternidade Eclética Espiritualista Universal, no dia 6 de Junho de 1946, no RJ. discurso este imprescindível para os médiuns ou estudiosos, e, até mesmo curiosos do movimento espiritualista Umbandista, pelo conteúdo de profunda moral e Catequese espiritual.

A finalidade humana é o caminho para Deus, em consciência, dentro dos limites da mais ampla tolerância, excluídos quaisquer preconceitos racistas ou de posição social, religiosa, filosófica ou culturais profanos, dentro de um critério saudável de moralidade, fraternidade, equidade e justiça, visando sobretudo e ao alcance de todos, a prática do Bem da forma como ele se apresente.

Sempre seduziram a humanidade, subjugada ao permanente aguilhão do Karma, os estudos referentes aos mistérios da Origem e do Fim, cuja compreensão se encontra num âmbito "Tetra-dimensório" e só palpáveis através da observação sincera e intuitiva dos fenómenos, de sua percepção sensorial e da que "remove montanhas"...

È afastando de si mesmo qualquer vestígio de orgulho, de vaidade, de reclusão doutrinária que iniba o raciocínio ou escravize o espírito, de intolerância para com os princípios axiomáticos de outros credos, de temor a Deus ou negação do incognoscivel, de agressivo desprezo pelo que se não conhece e amor à Verdade que investiga, interpreta, pesquisa, estuda e consagra,- que o Homem conseguirá elevar-se até o nível que lhe foi destinado pelo criador.

O conhecimento humano não explica a Origem, nem esclarece o Fim!- Luta...eivado de esforços e meditações, dentro do mundo perceptível, afirmando o que o seu poder consegue alcançar, sistematizando conquistas que gravitam em torno da sua orbita, pesquisando com os instrumentos nascidos do próprio ambiente em que se desenvolvem, concordando ou negando aquilo que passe ao perto ou distante de sua lógica materialista!...

Basta que o Homem, sincero e consciente, levante a cabeça e contemple o firmamento...e a sensação de sua pequenez, em face das constelações, caminha com a mesma velocidade da dúvida interior que o estigmatiza1...

Mas se tudo é obra de Deus; se a Vida é o sopro imenso do Criador, então, o que se agita entre o Micro e o Macro, também surge do seu Poder e da sua Inteligência!...

No caminho entre o Principio e o Fim,- entre o Fiat inicial e o Todo Integral- estão as coisas mais simples que é a minimez humana pode perceber... A Ciência é o meio do caminho... Ela nasceu com o Homem, filho de Deus e irá com ele até os limites ponderáveis de sua investigação... A começou e acabara esse caminho!... O combate tenaz entre as duas, mercê do enorme retardo ético dos Homens, representa o estado confuso e tormentoso que até hoje tem empolgado os povos e as almas.

A Ciência da vida procura a verdade sobre os cadáveres...isto é, sobre a matéria em si mesma...friável, decomponivel,dissociável...desanimada!- Acega, sozinha, sem o braço da Ciência que interpreta, desvenda e analisa; que segue os fenómenos e lhes traça formula codificadas, é um privilégio do indivíduo, mas sem nenhuma repercussão legítima sobre a evolução humana...

Não há solução de continuidade nos elementos essenciais dos corpos.- A forma é vária, a essência é una. Antes e depois, a essência é sempre a mesma.- Somente evolui, progride, ascende sempre, em busca da perfeição, que é a imagem pálida de ADONAY... Pretender negar a existência do Principio e do Fim, afirmando o Intermediário é o mesmo que afirmar o Princípio e o Fim, negando o Intermediário!

No Principio e no Fim está a Fé. No Intermediário está a Ciência.- Ambas se completam, se conjugam...E quando ambas estiverem perfeitamente acordes, então, se poderá caminhar até o fim, porque nesse momento, a Humanidade será digna de encarar e suportar a Verdade!

Não se deve, pois , negar, sem conhecer.... Negar por discordar; negar, por não sentir; negar, por não ter entendido, sentido, interpretado... alcançado o que está além do nosso raciocínio e das nossas próprias possibilidades de evolução mental!

Os sistemas humanos tem surgidos, se estabelecido e...passado. A verdade humana é como a aurora; começa... descreve o seu jorro de luz com a parábola solar e mergulha no ocaso, para reaparecer de novo.- Quem nos afirmara que um dia é exactamente igual ao outro? Quem nos afirma que a aurora de hoje é a irmã gémea da precedente?- A própria luz é diversa, todas as vezes que apagamos e tornamos a acender a lâmpada.

A Humanidade, em seu todo, tem sido substancia plástica, dócil, a surgir e a desaparecer, através dos milénios.- Só o homem, em si mesmo, pela sua inspiração artística, filosófica, cientifica, artesã, mística, conseguira boiar ao eterno sorvedouro dos KALPAS!...

O que os Homens,- esses "genios-meteoros"- disseram, fizeram, inventaram, escreveram ou sentiram, ficou sempre, em todas eras ao serviço da Humanidade. São como cimos alcantilados que, de tempos em tempos, se erguem sobre a planície humana, para ilumina-la com os seus ensinamentos, com a sua bondade, com a palavra divina que trouxeram... Cada época guardou algo de uma grei de Iluminados, que, em todos os Setores do Conhecimento humano, chegaram para difundir verdades parciais,- aplicadas e ajustadas ao instante secular-, filhas indisputáveis da Verdade Total!

A luta de ideologia, o combate das religiões em conflitos morais ou filosóficos, o drama dos inventores, tudo, nos chegam como ofertas do Soberano Poder, que,  amiúde, o Homem nega, cuja intenção é aplicar em parágrafos esparsos, lentamente, o conceito perene e unificante da Lei Universal...Se encararmos, serenamente, os diferentes períodos da humanidade, haveremos de ver que o progresso intelectual, cientifico ou filosófico dos homens tem avançado de maneira espetacular.- Mas veremos, também, que, no campo moral, os homens pouco se adiantaram sobre as hordas primitivas...

Os Missionários tem vindo, em diversas etapas, em diversos países e os seus exemplos,- se bem que frutifiquem e favoreçam decisivamente a marcha dos Homens - são esquecidos, abandonados, feridos, apedrejados e imolados, permanecendo até hoje crucificados, em espírito, nos seus mandamentos mais fecundos!...

Se estamos um pouco melhores que os bárbaros, também persistimos no propósito sanguinário adâmico de dividir para reinar, de triunfar sobre cadáveres, de usar inventos criminosos e condenáveis para o nosso próprio extermínio, de alicerçarmos as nossas leis sobre baluartes mortíferos!...

O Perdão, ainda é ridículo...utopia; Amor, ainda é a soma de complicados, subalternos interesses e conflitos glandulares ou sociais;- a Verdade, ainda é conveniência pessoal ou grupal; a Ambição, ainda preside a todos os atos do chamado homem civilizado de nossos dias; o Egoísmo, procura, avidamente,- a qualquer preço - o conforto, no esquecimento propositado da ruína alheia, sobre mansardas e dolorosas angustias de milhões de irmãos desprotegidos; a Força ainda representa, em nossos dias de pronunciado avanço social, o único veiculo para o respeito e a homenagem,- a Violência, o apendoado Cavaleiro do Apocalipse em vertiginosa carreira triunfal... gerando e multiplicando violências,- o Poder, não é a consequência lógica da iluminação interior, é, ao contrario, a resultante de competições ilógicas, desleais, oportunistas e inferiores, com acentuada tendência para "subir" sempre na Matéria e descer, cada vez mais fundamente, no Espírito!...

-" Só pelo Amor será salvo o Homem" - disse o Divino Mestre... e o Amor é a Caridade, no seu mais amplo sentido. Caridade, sinónimo de dedicação, fraternidade, renuncia, puro e sincero altruísmo. Caridade que se oculta para agir melhor, que trabalha infatigavelmente, para que só exista o sorriso do Homem Bom, diante do Pai. Caridade que se esquece de si própria, pela abnegação e pelo estoicismo; que afronta as agruras do plano material e o escárnio ruidoso do mundo decadente, pela consciência de cumprir com o dever legado, inexoravelmente, pela Lei Universal da Solidariedade!...

Todas as religiões preconizam o Bem...Repudiar as Religiões, por negativismo sectário, representa fechar o caminho que conduz a Deus.- O princípio básico dos povos é a ressurreição moral, pela consciente compreensão dos legítimos mandamentos da Verdade Imortal.

Todas Religiões falam na Alma, no Corpo e no Espírito... A Matéria existe, em função de veículo. Anima-a o sopro Divino, para que ela sirva de morada transitória para o espírito.- Cumprida a missão deste,- quer no Messianismo ou Apostolado, periodicamente - quer resgatando ou amenizando culpas, eis que o sopro vital abandona a matéria, o espírito livra-se e ela principia a sua desintegração, isto é, o seu retorno, por outro caminho, ao Todo Cósmico,- pela transformação. O aperfeiçoamento do Espirito se processa pela estatuária moral cujo artista é o Cristianismo, no Ocidente.

Esse aperfeiçoamento se pode traduzir por duas fórmulas:- a da regeneração moral pela , ou a do adiantamento moral pela abnegada e altruística investigação cientifico---experimental do espiritualismo...

Urge, porém, que os Homens não se cinjam às palavras! Estas são símbolos que exprimem ideias;- e as ideias são sentidas, antes que interpretadas,. São símbolos que indicam o caminho a seguir ao viajor aflito e desnorteado nos imensos Saáras da vida,- Estes símbolos se desenvolvem e constituem o cenário que reflete o mesmo Princípio e o mesmo Fim na demonstração exterior de todas as Liturgias!

Procurar entender um fenómeno, antes de entregar-se à sua sensação interior, à repercussão dele no ponto central - místico de todos nós, é o mesmo que querer descobrir a vida estripando cadáveres...

Despir a camisa do orgulho e da escuridão mental, que a ciência materialista nos veste, para entrar no ambiente meditativo e sensitivo das coisas e dos fenómenos espirituais, é o primeiro gesto de quem quer,- honestamente,- chegar ao conhecimento da Verdade.

Mas a evolução não se dará apenas pela demonstração e programação dos fenómenos espíriticos.- Ela se dará na velocidade intensa e permanente, quando pudermos, violentando nossos próprios preconceitos, invalidar as muletas da nossa presunção, da nossa infinita ignorância e cumprir, fiel conscientemente, com o que nos foi transmitido, há dois mil anos, pelo humilde e gigantesco Carpinteiro Galileu.

Por outro lado vivemos adorando-o em rituais, afirmando-o em convenções, exaltando-o em festins, consagrando-o em quadros domésticos, entronizando-o em cerimonias, sepultando-o e profanando-o em discursos solenes que, preconcebidamente, buscam ocultar às massas a verdade básica sobre o mesmo Princípio e o mesmo Fim de todas as Religiões; negando-o quotidianamente, nas nossas relações com outros Homens, e por fim, crucificando-o, diariamente na má fé, no sub- solo da consciência, nos veneráveis balcões dos ofícios e promessas escusas, aviltantes!

Tanto o Homem como os povos, agem por trás da Cruz, com que se personifica o Mestre.- Mas essa Cruz não tem sido um sinal para o remorso;- o estigma para a injustiça,- o aceno permanente para a desenfreada loucura coletiva, a advertência dramática ao truculento estupro do Evangelho,- o chamado permanente à reconciliação  de um erro milenário... Fazemos exatamente aquilo que foi condenado em todas as religiões, especialmente por quem tanto sofreu por nós, usando a Cruz como trincheira para o crime e para o deicídio...É como se, aos pés do juiz que nos absolve a culpa, estivéssemos a incidir sobre a mesma falta, julgando que a proximidade do julgador nos expunge do crime recapitulado...E é somente por isso que os Gurus do Oriente afirmam; bem alto, que não adiantam religiões nem liturgias exteriores, sem realização, sem evangelização interior, ao mesmo tempo...

Os que são solidários, fraternos, abnegados, bondosos, sinceros, humildes, tolerantes e também Ateus, estão muito mais perto de Deus, do que aqueles que se genufletem, se cercam de amuletos e de imagens, frequentam templos, procuram sacerdotes, "evangelizam" das tribunas e dos sagrados púlpitos, exercem mediunidade, praticando, porém, na vida publica, atos ilícitos, traindo, caluniando, dividindo, matando, furtando, denegrindo, manchando reputações, pregando violências e semeando discórdias, amaldiçoando os que erram, sem antes procurar amaldiçoar, em primeiro lugar, os seus próprios erros... sua miséria moral!

Não faltam religiões... não faltam "religiosos" aos milhões, faltam, sim, homens bons... evangelizados; faltam apóstolos e arautos sinceros da cristandade!...

Disse-me certa vez um iluminado Instrutor Espiritual: - É mais ímpia a prece do Hipócrita, do que a blasfémia do malvado ignorante""!

Eis aqui uma sentença que condena e abençoa ao mesmo tempo as religiões que se arrastam nas letras dos Dogmas... Por tudo isso foi que surgiu o  Ecletismo!

Só na caridade há cristianismo.- Só no Amor há Divindade... e é pela caridade e pelo Amor que o homem, "esse desconhecido", como sustentou Carrel, chegara até o limiar da Casa do Pai, essa Pátria livre, dos eleitos, que não é mais do que um estado de consciência pura, de bem aventurança, libertas das injunções do passado e da carne, deificada pela permanência no Bem, oxigenada pelas emanações sublimes do esquecimento de si mesmo, pela exaltação desinteressada e compassiva do seu próximo.

Respeito as Leis da Terra, dando a César o que é de César; cumprimento às Leis do Pai, dando a Deus o que é de Deus; respeito a si mesmo, pela humildade; respeito a Eternidade, pela Fé; respeito a Humanidade, pela Caridade; respeito à fraternidade, pelo Amor; respeito ao Próximo, pela visão da trave que nos os olhos, esquecendo o argueiro no olho do nosso vizinho; respeito ao Passado, pela modéstia;- respeito ao Futuro, pela renuncia;- respeito ao Presente, pelo Trabalho, e respeito à Verdade, pela luta espiritual, permanente, em prol da Justiça, da Ciência e do Bem!...

Aí então dar-se-á o almejado amplexo Universal de todas as religiões... filosofias e escolas, pelo abandono definitivo de todas as armas, do corpo e do espírito, com  que os homens se dividiram e se aniquilaram, mutualmente, sem um vencedor conhecido, através de todos os milénios!...

Prezados irmãos, mas uma vez nos despedimos, agradecendo pela leitura de nossas paginas e, esperando que elas vos tragam muitos acréscimos morais e espirituais, pois nos também o temos recebido, que nosso Mestre Oxalá vos derrame através de seus obreiros de luz, os eflúvios de Saúde, Paz e tranquilidade.

              Saravá.....     

                                    André.: